quinta-feira, 31 de março de 2011

quarta-feira, 30 de março de 2011

Escute os conselhos

Peça a Deus que abençoe os seus planos e eles darão certo. Pv. 16:3

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor. Porém o maior desses é o amor. I Co 13:13

Preste muita atenção quando Deus corrigir você, porque Ele corrige a quem ama, assim como um pai corrige a um filho a quem ele quer bem. Pv 3:11

O amigo quer o nosso bem mesmo quando nos fere; mas quando um inimigo o abraçar, tome cuidado! Pv 27:6

Aqueles que planejam o mal acabarão mal, porém os que fazem o bem encontrarão a felicidade. Pv 12: 20

terça-feira, 29 de março de 2011

Plug and pray

      Quando surgiram os primeiros computadores pessoais, era preciso que o usuário programasse o pc antes de usá-lo, uma tarefa complicada, não era para qualquer um. Pouco tempo depois, os especialistas facilitaram nossa vida e os equipamentos passaram a vir com os programas prontos, criando o chamado "plug and play" (ligue e vá em frente). Melhorou, mas às vezes a coisa emperrava, frustrando o usuário. Foi o que os cínicos passaram a chamar de "plug and pray" (ligue e ore).



      Curisoso, não? Parece que orar só vem à mente quando tudo dá errado. É o último recurso. Quando não se enxerga mais nenhuma saída, tenta-se ainda a oração. Não que se vá esperar muito disso, mas não custa nada, e quem sabe? Pelo menos ninguém vai poder dizer que não se tentou tudo!

      É claro que também há os que fazem o contrário - não na informática, mas na vida. Erguem suas preces a quem quer que seja e depois cruzam os braços à espera de um milagre. Seria como querer que o computador funcionasse sem ligá-lo ( sem o "plug"). Pensando bem, acho que essa idéia do "plug and pray", apesar de ser uma brincadeira com o computador, pode ser um ótimo programa de vida: primeiro o plug ( a ligação com a fonte da própria vida) depois o pray (a conversa com Deus para receber instruções) e  em seguida, ai sim, o play (tocar a vida, agora já com o respaldo necessário). A propósito, há também aqueles que nem tentam o plug e confiam só na carga da sua própria bateria. Podem até viver bem por um tempo, mas um dia a carga acaba - e às vezes de repente. Não me parece uma opção esperta.      

      Por isso, no texto bíblico base, Jesus ensina a ir buscar o que precisamos diretamente com Deus. Leia e confira.


Trecho base, Mateus 7, 7 -11. http://www.bibliaonline.com.br/acf/mt/7

Texto tirado do livro "Pão diário".

segunda-feira, 28 de março de 2011

domingo, 27 de março de 2011

A ratoeira

      Um rato olhando pelo buraco na parede vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote. Pensou logo em que tipo de comida poderia ter ali. Ficou aterrorizado quando descobriu que era uma ratoeira. Foi para o pátio da fazenda advertindo a todos:
  
- Tem uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa!

A galinha, que estava cacarejando e ciscando, levantou a cabeça e disse:
 
- Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que é um grande problema para o 
senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda.

O rato foi até o porco e disse a ele:
  
- Tem uma ratoeira na casa, uma ratoeira.
  
- Desculpe-me, sr. Rato, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser rezar. Fique tranqüilo que o senhor será lembrado nas minhas preces.

O rato dirigiu-se então à vaca. Ela disse:

-  O que, sr. Rato, uma ratoeira? Por acaso estou em perigo? Acho que não!

      Então o rato voltou para a casa, cabisbaixo e abatido, para encarar a ratoeira do fazendeiro. Naquela noite ouviu-se um barulho, como o de uma ratoeira pegando sua vítima. A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia pego. No escuro, ela não viu que a ratoeira pegou a cauda de uma cobra venenosa. A cobra picou a mulher. O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre. Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja. O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal.

      Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la. Para alimentá-los o fazendeiro matou o porco. A mulher não melhorou e acabou morrendo. Muita gente veio para o funeral. O fazendeiro, então, sacrificou a vaca para alimentar todo aquele povo.

      Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que o problema não lhe diz respeito, lembre-se do que a bíblia fala em Romanos 12:10: " Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros."

sexta-feira, 25 de março de 2011

quinta-feira, 24 de março de 2011

Pense sobre o próximo

Compreenda o próximo a partir de ti e reflita. Eclesiástico 31:15


As palavras bondosas são como o mel: doces para o paladar e boas para a saúde. Pv 16:24


Quando alguém está querendo aprender, o conselho de uma pessoa experiente vale mais do que anéis de ouro ou jóias de ouro puro. Pv 25:12


Não se revolte por causa dos maus nem tenha inveja deles. Os pecadores não têm futuro; eles são como uma luz que está se apagando. Pv 24: 19,20


O tolo pensa que sempre está certo, mas os sábios aceitam conselhos. Pv 12:15


A pessoa de mau gênio sempre causa problemas, mas a que tem paciência traz a paz. Pv 15: 18


A paciência convence até as autoridades; a perseverança pode vencer qualquer dificuldade. Pv. 25:15

Se você não tiver motivo, não seja testemunha contra o seu vizinho nem fale mal dele. Pv 24: 28

Ninguém elogie a si mesmo; se houver elogios, que venham dos outros. Pv 27: 2 



quarta-feira, 23 de março de 2011

Não deixe


                               Deus não quer que você seja marionete de ninguém.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Intimidade

      Tenho um amigo que mora muito distante de mim. Para vocês terem uma idéia, eu moro no nordeste e ele no sul do país, mas sei muita coisa sobre ele. Por exemplo, comida preferida, perfume preferido, os tipos de música que ele gosta de ouvir e, até mesmo, alguns termos do vocabulário dele eu acabei adotando em minhas conversas. Sei, também, das coisas que faz com que ele se sinta bem ao escutar ou o que ele não aprova, e eu sempre estou mostrando para ele o quanto ele é especial para mim.  Talvez, vocês estejam se perguntando como que com essa distância toda eu sei tanta coisa sobre ele. A resposta é convivência, isso mesmo, a distância não importa, pois maior que a distância, é a consideração que um tem pelo o outro. 

      E porque que não fazemos isso com Deus? Desenvolver uma amizade, procurar agradá-lo, estar sempre se esforçando para mostrar ou dizer o quanto Ele é especial em nossa vidas? Uma coisa é certa, toda vez que uma pessoa ou um grupo anda muito junto, eles acabam adquirindo gestos, vocabulários e atitudes peculiares ao grupo. Pois nós andamos com quem nos identificamos. Com Deus não é diferente, devemos desenvolver isso, esse compromisso de estar sempre perto, de sempre querer saber as novidades, tirar um tempo para estar só com Ele, desabafar, sorrir, chorar, essa é a comunhão que Deus anseia ter com seus filhos. E eu garanto que, de tanto você andar com Deus e saber o que o agrada, onde você for as pessoas notarão algo diferente, pois em nossas atitudes estará impresso o caráter de Deus. 


      Fica a pergunta: Com quem você está procurando ter intimidade? O caráter de Deus está sendo visto em sua vida?

"Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor; como alva sua vinda é certa; e ele descerá sobre nós,como a chuva,como chuva seródia que rega a terra  Oseias 6:3"

domingo, 20 de março de 2011

Esperança ao cansado

      Mais um quadrinho da promoção "A loucura da minha vida". Desta vez, é contada a bonita história de Leilane. Visualizem e comentem para que ela ganhe prêmios!


                                                          Clique duas vezes para ampliar

quinta-feira, 17 de março de 2011

Atenção

Atenção! Não deixe que a sua atenção se desvie do que realmente é importante para você.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Vale a pena

video


Esse vídeo vale a pena, em vários sentidos. É incrível.

Por que choras?

      Certa vez, um anjo escutou um choro vindo de um campo e, para sua surpresa, viu que uma árvore chorava.

-Por que choras dona árvore?

-Choro porque mais um dia vai começar, e o meu sofrimento também. O que me faz sofrer são as pessoas. Elas jogam pedras em mim o dia inteiro, eu não consigo entender o motivo. Eu, que me esforço tanto para produzir frutos deliciosos, só levo cacetada. "Seu" anjo, por que será que elas não gostam de mim?

-Você está enganada, dona árvore. As pessoas gostam demais de você e dos seus frutos, por isso elas jogam pedras em você, é para pegar os seus frutos.

Preste bem atenção:

      Ninguém joga pedra em árvore que não dá fruto! Se estão jogando pedra em você, é porque você está produzindo frutos que chamam a atenção.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Lagartas processionárias

        As lagartas processionárias alimentam-se de flores e folhas de árvores. Movem-se em "procissões" (daí o nome), cada uma com a cabeça colada à extremidade da outra.

       Jean-Henri Fabre, naturalista francês, ao estudar um grupo dessas lagartas, induziu-as a se movimentar em torno de um grande círculo. Ele pressupunha que depois de algum tempo, as lagartas perceberiam seu caminho circular, ficariam cansadas da marcha inútil e partiriam em uma nova direção. Mas não foi o caso. Pela força do hábito, esse círculo vivo continuou a se arrastar ao redor do vaso, vez após vez, dia após dia, mantendo a mesma velocidade! Uma porção de comida foi colocada ao lado do vaso, em plena vista das lagartas, mas fora do alcance do círculo. Mesmo assim, elas permaneceram em sua vereda por sete dias e noites - numa marcha rumo à morte.

     As lagartas processionárias estavam seguindo sua experiência passada, instinto, hábito, precedência, costume, padrão normal. Mas, estavam seguindo às cegas. Quantas vezes agimos como lagartas processionárias, agimos por hábitos, condicionamentos que na verdade não nos levam à lugar algum. É imprescindível questionar esses hábitos e adotar novas estratégias de ação, para que alcancemos nossos objetivos. Não aja por tradição, religião, dogmas, mas, sim, aja por Deus.

Não deixe

Deus não vai deixar que isso aconteça.

sábado, 12 de março de 2011

Anseios e respostas

Agora é a vez de André mostrar sua história! Vejam e comentem! Ajudem ele a ganhar prêmios do blog! 

Clique duas vezes para ampliar

quinta-feira, 10 de março de 2011

Amigos com defeitos

      Um menino sonhava em comprar um cachorrinho. Certa vez, ele foi a um pet shop para tentar realizar seu sonho. Ele não tinha muito dinheiro, porém, foi a loja tentar comprar o que fosse possível com o pouco dinheiro que possuía.

      Ele parou diante da vitrine e vislumbrou muitos cachorrinhos bacanas e bonitos, mas o preço das etiquetas assustavam ele. Mesmo assim, o menino entrou na loja e foi tentar negociar. O vendedor percebeu que o menino não possuia muito dinheiro e lhe ofereceu uma doação.

- Menino, tem um cachorrinho que nasceu a alguns dias atrás que eu posso lhe doar. 

      O homem mostrou o bichinho e o menino ficou muito feliz, gostou na hora do cachorrinho e já começou a brincar com ele. Porém, o homem acrescentou:

- Esse cachorrinho tem um defeito, ele manca, nasceu assim e vai continuar assim. Ele não tem valor para nós da loja e entendo se você não quiser ele, porém, seu dinheiro não é suficiente para comprar nenhum outro. Você quer ele mesmo assim, com esse defeito?


      O menino, que já segurava seu amigo no colo, levantou a calça e mostrou as pernas tortas que ele possuia  devido a um problema de nascença. E disse:

- Eu e ele vamos nos dar bem. Eu vou cuidar e amar ele, mesmo com os seus defeitos.

Simples demais

video

terça-feira, 8 de março de 2011

Não é o fim

Da dor o reconhecimento

      No livro de Jó é contada a história de um servo do Senhor que foi acometido por uma série de tristes acontecimentos. Jó, em um único dia, perdeu filhos, filhas e animais e nos dias seguintes seu corpo foi coberto de profundas e purulentas feridas. As únicas pessoas que poderiam ajudar foram as primeiras a acrescentarem ao sofrimento de Jó. Um exemplo foi a mulher dele, que disse: "Amaldiçoa esse Deus e morre". Porém, Jó não deu ouvidos e, mesmo angustiado, glorificou ao Senhor. Houve momentos tão duros na vida desse  homem que ele chegou a falar: "Maldito seja o dia do meu nascimento (Jó 3)", mas em momento nenhum ele se voltou contra Deus. Até os amigos, o acusaram de impunidade (Jó11,12).

      Muitos de nós, nos deparamos com situações semelhantes a de Jó, em que passamos por momentos de dor, angústia e perdas irreparáveis. E o que nos resta ao nosso redor são pessoas que, ao invés de nos ajudar, nos acusam, nos estimulam a desistir e a blasfemar contra Deus. 



      Por mais que dias ruins venham contra nós, devemos lembrar que existe um grande Deus que pode todas  as coisas. Devemos aprender com Jó, é preciso reconhecer a grandeza de Deus, mesmo que nos encontremos solitários e abatidos,  quando a dor parece a única companheira, a solidão tenta, de todas as formas, nos abraçar e a sensação que temos é de estarmos em meio a um vale de ossos secos. Mas Deus, de uma forma gloriosoa e surpreendente, chega com o socorro bem presente e refrigera a nossa alma, estende suas mãos, nos levanta e nos guia, fazendo com que a dor seja uma oportunidade de buscá-lo e apredermos os seus propósitos, assim, crescemos espiritualmente.

      No final da história, Jó teve outros filhos e filhas, e tudo o que ele perdeu, o Senhor  restituiu dobrado e ainda acrescentou muitos dias em sua vida. Assim acontecerá com todos aqueles que fazem da dor um  motivo para adorar a Deus. O Senhor restituirá com dupla honra.

"Faça da dor um motivo para reconhecer a grandeza de Deus."    Israel Reis

sábado, 5 de março de 2011

Inferioridade diminuida

Mais uma história real virou quadrinho. A pessoa não quis se revelar, mas conta uma história muito bonita!
Leiam, comentem e ajudem ela a ganhar prêmios do site!
Clique duas vezes para ampliar

quinta-feira, 3 de março de 2011

A grande pergunta



      Certo dia um professor ateu desafiou seus alunos com a seguinte pergunta: "Deus fez tudo o que existe?" Um estudante respondeu corajosamente: "Sim, fez!" "Deus fez tudo, mesmo?" Insistiu o professor. "Sim, professor" respondeu o jovem. O professor replicou: "De Deus fez todas as coisas, então Deus fez o mal, pois o mal existe. E, considerando-se que nossas ações são um reflexo de nós mesmos, e somos a imagem e semelhança de Deus, então Deus é o mal. O estudante calou-se diante de tal afirmativa e o professor ficou feliz por haver provado uma vez mais que a fé era um mito. 

      Outro estudante levantou sua mão e disse: "Posso lhe fazer uma pergunta, professor?" "Sem dúvida", respondeu-lhe o professor. O jovem ficou de pé e perguntou: "Professor, o frio existe?" "Mas que pergunta é essa? Claro que existe, você por acaso nunca sentiu frio?" O rapaz respondeu: "Na verdade, professor, o frio não existe. Eu não sou especialista no assunto, mas, segundo as leis da física, o que consideramos frio é, na realidade, ausência de calor. Todo corpo ou objeto pode ser estudado quando tem ou transmite energia, mas é o calor e não o frio que faz com que tal corpo tenha ou transmita energia. O zero absoluto é a ausência total e absoluta de calor, todos os corpos ficam inertes, incapazes de reagir, mas o frio não existe. Criamos esse termo para descrever como nos sentimos quando nos falta o calor.

      " E a escuridão, existe?" Continuou o estudante. O professor respondeu: "Mas é claro que sim." "Novamente o senhor se engana, a escuridão tampouco existe. A escuridão é, na verdade, a ausência da luz. Podemos estudar a luz, mas a escuridão não. O prisma de Newton decompõe a luz branca nas várias cores de que se compõe, com seus diferentes comprimentos de onda. A escuridão não. Um simples raio de luz rasga as trevas e ilumina a superfície que a luz toca. Como se faz para determinar quão escuro está um determinado local do espaço? Apenas com base na quantidade de luz presente nesse local, não é mesmo? Escuridão é um termo que o homem criou para descrever o que acontece quando não há luz presente." 

      Finalmente, o jovem estudante perguntou ao professor: "Diga, professor, o mal existe?" Ele respondeu: "Claro que existe. Como eu disse no início da aula, vemos roubos, crimes e violência diariamente em todas as partes do mundo, essas coisas são o mal." Então o estudante disse: "O mal não existe, professor, ou, pelo menos, não existe por si só. O mal é simplesmente a ausência do bem. O mal, como acontece com o frio e o calor, é um termo que o homem criou para descrever essa ausência do bem. Assim sendo, o mal não existe, Deus não fez o mal. Existe sim o amor, a fé, como existe a luz e o calor. Já o mal é resultado da falta de Deus, ou seja do Amor nos corações. É como o frio que surge quando não há calor, ou a escuridão que acontece quando não há luz." 

      Diante da lógica da argumentação do aluno, o professor calou-se pensativo. O Mal não tem vida própria, é apenas a ausência do bem. Onde o Bem se faz presente o Mal bate em retirada. Já o amor é de essência divina, e está presente nos corações de todos os homens, mesmo que em estado latente, esperando a oportunidade degerminar, crescer e florescer.

(texto de fonte desconhecida)

quarta-feira, 2 de março de 2011

terça-feira, 1 de março de 2011

Sinto falta de casa


Eu ando pela vida
Eu olho para o céu
Eu sento na janela
E tento ver

Eu oro em meu quarto
De joelhos ao chão
Minhas lágrimas escondidas
O Senhor vê

Eu vou esperar meu tempo  
Mas eu sinto falta de minha casa

                                                                                    Eu espero que minha vida
                                                                                    Não seja em vão
                                                                                    Eu oro para que um dia
                                                                                    Eu possa ver

                                                                                    Eu vou esperar meu tempo
                                                                                    Mas eu sinto falta de minha casa